sábado, 4 de maio de 2019

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

SER IGREJA É SER PESSOA NÃO INSTITUIÇÃO É ESTAR CONCORDANDO COM AS ESCRITURAS E NÃO CEGAMENTE COM ALGUMA INSTITUIÇÃO

       Os católicos romano, como é de praxe, acusam os cristãos evangélicos de que saíram do meio católico e que por isso são dissidentes da igreja católica. Se baseiam no texto de 1João 2. 19 querendo com isso dar força a sua falacia de que somos truncados do corpo de Cristo a qual eles acham ser a denominação-seita em Roma.
       È preciso em primeiro lugar entender que nenhuma denominação por simplesmente ser denominação não pode por si mesma como instituição ser o próprio corpo de Cristo. A igreja não é o corpo de Cristo apenas e enquanto pessoa jurídica, mas sim como pessoa humana, como grupo de no minimo dois ou três pessoas juntas para formar o que identificamos como corpo de Cristo, como está na escritura
"Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles." (Mateus 18 : 20)
mas na mente dos católicos mais fanáticos é a instituição em roma como pessoa jurídica, organizacional e instituída que é por si só o corpo de Cristo. Veja que, para eles mesmo que hipoteticamente não houvesse ninguém nela, na instituição, na organização, então para eles não haveria salvos, porque na visão deturpada deles é a instituição romana por si mesma que já é a própria igreja e não as pessoas em qualquer lugar, que formariam o corpo do Senhor na terra. Sendo assim os católicos estão perdidos porque quando o Senhor vier, ele não vai levar os prédios, nem os conventos, nem os documentos oficiais da denominação, nem as tais relíquias católicas. Resumindo: eles pensam que a ORGANIZAÇÃO em si já seja o alvo do Senhor e não as pessoas que nela estão. Os católicos não sabem discernir organização de organismo, mas eu ensino
ORGANIZAÇÃO: É o corpo jurídico, denominacional, a parte institucional, oficial regida por documentos e registros.
ORGANISMO: São as pessoas, os indivíduos, os seres vivos humanos que formam o grupo dos adoradores da trindade. verdadeiramente a igreja. a igreja viva na expressão mais exata da palavra.
No contexto Cristão, Quando se juntam o organismo humano (as pessoas) e a organização jurídica (órgão oficializado em documentos), dai temos uma denominação cristã. Ai os católicos na grande maioria acham que, quem sai da organização, da instituição, está saindo da igreja. Mas como já vimos este erro está sendo exposto aqui.
quem sai da organização romana, não está saindo da igreja, mas saindo apenas da organização. O que identifica verdadeiramente uma saída da igreja, é quando a saída é do ensino verdadeiro para o ensino falso, para a heresia, então nesse caso, estar numa denominação que já não ensina mais a verdadeira doutrina nem os verdadeiros ensinos, isso sim é estar saído da verdadeira igreja. Se uma denominação está fora da doutrina de Cristo, então todos dentro dela estão fora da igreja, porque a igreja só é igreja enquanto ensina a verdadeira doutrina cristã, por isso na igreja primitiva a questão de averiguar escritura com escritura era muito acentuada, como fizeram os Bereanos
"E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Beréia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus.
Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim." (Atos 17. 10,11)
Então infiro aqui que, averiguar escritura com escritura é uma das melhores tradições da igreja, é a sola escritura em sua mais nobre missão, a saber, não deixar a igreja se desviar da verdade das próprias escrituras inspiradas pelo Espirito Santo e não pela denominação romana. A instituição católica romana se exalta acima das escrituras só porque ela apenas compilou, copiou e encadernou o que não recebeu por inspiração diretamente a ela, mas todos que estão nessa empreitada rebelde nessa instituição serão julgados por Deus pelo conteúdo das escrituras, assim como os judeus pelo conteúdo da torá, como bem ensinou o mestre
Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais.
Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim escreveu ele.
Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras? (João 5. 45-47)
       vejamos o contexto em que uma pessoa sai da seita romana e vai para uma outra denominação que se apresenta como cristã, nem toda instituição que se diz cristã necessariamente pode estar falando a verdade isto é um fato mas vamos ver essa questão da saída em si, pra averiguar se quando alguém sai da seita em Roma esteja saindo da igreja. Vou tomar o texto que um católico me trouxe num debate querendo mostrar que quem saiu da sua denominação instituída em 380dc em Roma "saiu" da igreja, segundo ele e seus correligionários. Vejamos o texto e sua analize posterior.
"Eles saíram de entre nós, mas não eram dos nossos, porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido connosco; mas aconteceu assim para que ficasse claro que nenhum deles é dos nossos." (1 João 2, 19)
       Este texto fala dos judeus que estavam na igreja, mas não concordavam com a doutrina da igreja, discordavam de tudo o que os apóstolos escreveram e ensinaram fazer. O que os apóstolos ensinaram era e é, doutrina para a igreja. A seita romana por ter ultrapassado, inventado e ido além do que eles ensinaram doutrinariamente se constituíram nos mesmos erros que aqueles falsos cristãos fizeram e por isso são mostrados como os que "saíram do meio de nós". Eles eram judaizantes e por isso não ficaram nos ensinos e nas doutrinas dos apóstolos, Isso nos ensina que esse "saíram do meio de nós" se refere a ter apostatado da verdade naquilo que estava escrito nas cartas e era ensinado na igreja. Na verdade foi a seita romana que saiu do meio dos cristãos por ensinar e doutrinar em erros que o paganismo articulou dentro dela. Esse "saíram do meio de nós" não se refere ai a ter saído da instituição até porque a igreja nessa época não era institucionalizada, razão maior de aferir que eles SAÍRAM por esposar doutrinas diferentes e que negava Jesus como o Cristo, e não por terem sadio da instituição. É preciso considerar os outros textos que se seguem pra ver porque eles "saíram do meio de nós", vejamos:
Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.
19 Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.
20 E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo.
21 Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade.
22 Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho.
23 Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai.
24 Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai.
25 E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna.
26 Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam.
       Eles saíram porque eram hereges que ensinavam outra doutrina discordando do conteúdo que os apóstolos ensinavam e escreveram a todos os cristãos de sua época, era outro ensinamento e negavam Jesus Cristo. A denominação seita em roma ensina até se prostrar a estatuas coisa esta que deixaria os apóstolos horrorizados, sem falar na heresia de cultuar os santos mortos o que é abertamente a pratica da necromancia, porque invocar mortos é espiritismo.

sexta-feira, 22 de março de 2019


Resultado de imagem para edito de tessalonica 380

JESUS CRISTO FUNDOU DIRETAMENTE A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA?

VAMOS VER

Jesus nunca fundou a denominação de Roma porque.

1 - Ele nunca pisou em Roma

2 - Jesus não era Romano, mas Israelita da tribo de Judá (calma não sou judaísta)

3 - quando Jesus disse:

"Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;" (Mateus 16 : 18)

A PEDRA a qual Jesus estava se referindo, como a pessoa da confissão de que Pedro sabia quem era, por revelação do pai, era o próprio Jesus. Quando Pedo disse num texto acima "tu és o Cristo, o filho do Deus vivo" sendo a Pedra esse "Cristo o filho do Deus vivo" Jesus estava afirmando que ele mesmo era a Pedra a qual mostrou onde ficaria a igreja sobre ela. A revelação fica assim:

"E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.....E Jesus, respondendo, disse-lhe:e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;" (Mateus 16 : 18)

4 - Quem iniciou o movimento da comunidade em Roma em 313dc, como um evento após os cristãos do seculo 1, que estavam em Jerusalém no pentecostes em Atos 2, foi constantino, e isso só veio acontecer com o edito de Milão, mas ele próprio não foi exatamente o fundador, pois não assinou em 313dc nenhum edito dando institucionalidade exclusiva a uma comunidade apenas cristã em Roma, ele deu com o Edito de Milão abertura em 313dc a todas as religiões. Somente em 323dc foi que houve exclusividade de culto aos cristãos em Roma, mas ainda não era oficialmente a inauguração da ICAR ali.

                Resultado de imagem para constantino     Resultado de imagem para constantino

5- Quem fundou mesmo a denominação em Roma, que posteriormente foi chamada de católica Romana depois, foi Teodósio I, em 27 de fevereiro de 380dc. 

                              Resultado de imagem para edito de tessalonica 380                     Resultado de imagem para edito de tessalonica 380

Segue o Edito em português

"Édito dos imperadores Graciano, Valentiniano (II) e Teodósio Augusto, ao povo da cidade de Constantinopla.

       Queremos que todos os povos governados pela administração da nossa clemência professem a religião que o divino apóstolo Pedro deu aos romanos, que até hoje foi pregada como a pregou ele próprio, e que é evidente que professam o pontífice Dámaso e o bispo de Alexandria, Pedro, homem de santidade apostólica. Isto é, segundo a doutrina apostólica e a doutrina evangélica cremos na divindade única do Pai, do Filho e do Espírito Santo sob o conceito de igual majestade e da piedosa Trindade. Ordenamos que tenham o nome de cristãos católicos quem sigam esta norma, enquanto os demais os julgamos dementes e loucos sobre os quais pesará a infâmia da heresia. Os seus locais de reunião não receberão o nome de igrejas e serão objeto, primeiro da vingança divina, e depois serão castigados pela nossa própria iniciativa que adotaremos seguindo a vontade celestial. Dado o terceiro dia das Kalendas de março em Tessalônica, no quinto consulado de Graciano Augusto e primeiro de Teodósio Augusto. (27 de fevereiro de 380)"

Em latim

 "Imppp. Gratianus, Valentinianus et Theodosius aaa. edictum ad populum urbis Constantinopolitanae. 

       Cunctos populos, quos clementiae nostrae regit temperamentum, in tali volumus religione versari, quam divinum petrum apostolum tradidisse Romanis religio usque ad nunc ab ipso insinuata declarat quamque pontificem Damasum sequi claret et Petrum Alexandriae episcopum virum apostolicae sanctitatis, hoc est, ut secundum apostolicam disciplinam evangelicamque doctrinam patris et filii et spiritus sancti unam deitatem sub parili maiestate et sub pia trinitate credamus. Hanc legem sequentes christianorum catholicorum nomen iubemus amplecti, reliquos vero dementes vesanosque iudicantes haeretici dogmatis infamiam sustinere nec conciliabula eorum ecclesiarum nomen accipere, divina primum vindicta, post etiam motus nostri, quem ex caelesti arbitrio sumpserimus, ultione plectendos. Dat. III kal. mar. Thessalonicae Gratiano a. V et Theodosio a. I conss. (380 febr. 27)

tudo está neste link

 http://ancientrome.ru/ius/library/codex/theod/liber16.htm#1


Desse dia em diante é que foi inaugurada a denominação Romana por exclusividade romana. Dai em diante ela começou sua empreitada de disseminar um "catolicismo Romano" e não um catolicismo apenas. A historia é implacável e poucos sabem discernir estes acontecimentos. Mas sabemos a verdade.

NÃO É DESTA VEZ AINDA QUE A DENOMINAÇÃO DE ROMA FOI INAUGURADA POR JESUS CRISTO LAMENTO MUITO.

domingo, 20 de janeiro de 2019






MAS AFINAL O QUE ESTÁ PROIBIDO EM ÊXODO 20. 4?  A FABRICAÇÃO DE IMAGENS DE ESCULTURA DE DEUSES PAGÃOS OU A FABRICAÇÃO DE  IMAGENS DE ESCULTURA DO DEUS YAHWEH?

       No texto de Ex20. 4 não está especificado que apenas para deuses pagãos deveria ser proibido a fabricação de imagens de escultura, é o que vamos ver.
       O que está claro mesmo é que no contexto geral das escrituras o Deus verdadeiro sempre abomina as imagens, independente de quais sejam, no texto de êxodo em referencia, está em primeiro plano a proibição da fabricação de qualquer imagem em semelhança dele e não apenas de outro deus, porque lá diz:

"Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra." (Êxodo 20 : 4)

SÃO PARA DOIS GRUPOS A PROIBIÇÃO de fazer a estatua
Vamos primeiro analisar a primeira parte do texto que dão sentido aos outros dois

"Não farás para ti imagem de escultura..."

       Aqui a ordem de não fazer imagens de escultura (estatua), já especifica que só o ato de faze-las já estava errado, porque quando vai em direção ao que se segue ao resto do texto, então isso se configurará em um culto falsificado, que em vez de ir diretamente a Deus, vai para a sua semelhança, ou seja quem acaba recebendo o culto é a imagem de escultura e não o próprio Deus.

"nem alguma semelhança do que há em cima nos céus..."

       È exatamente aqui, que o texto toma perspectiva a qual o objeto de culto não se deve fazer a estatua, que é a semelhança dele, porque somente ele, a trindade e os anjos, é que estão "nos céus", aqui inclui o terceiro céu, a morada de Deus. Nenhum deus pagão está no terceiro céu, porque os anjos caídos não mais retornarão para la, logo, aqui ele não está falando de deuses pagãos apenas, mas está falando de não fazer estatuas Dele mesmo. A proibição era não fazer imagens do Deus que está nos céus pois diz "nem alguma semelhança do que há em cima nos céus"

"nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra"

È aqui nesse grupo que entram as divindades pagãs que permeiam a terra por que diz "embaixo NA TERRA, e "nem nas águas debaixo da terra".

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Resultado de imagem para tres deuses a trindade

MARIA DEU A LUZ A TRINDADE?

      Vejam só a que ponto chegaram os católicos romanos. Eles por não terem mais como correr da heresia de que Maria gerou a trindade em seu ventre, embora essa tarefa tenha sido exclusivamente do Espirito Santo para gerar jesus, agora afirmam também que ela não é apenas mãe de Jesus Cristo, mas que é também mãe da trindade,Fazem isso para irem mais fundo na afirmação dela como mãe de Deus outra heresia já destruída a muito tempo pelos apologistas reformadores. veja o que diz Lucas Banzoli apologista Brasileiro sobre essa questão: 
"não existe nenhuma evidência (repito: nenhuma evidência!) histórica que remete aos apóstolos e que nos diga explicitamente que Maria era mãe de Deus. A primeira e maior fonte histórica que remete aos apóstolos que possuímos hoje é o Novo Testamento, o qual faz 39 menções de Maria como sendo “mãe de Jesus” (Christotokos), mas absolutamente nenhuma de que seja “mãe de Deus” 
(Theotókos)." http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/09/maria-e-mae-de-deus-theotokos.html

Dizer que Maria seja mãe da Trindade acaba de uma vez por todas com alguma crença cristã que porventura possa existir ainda na denominação católica apostólica Romana.

Vou enumerar algumas heresias derivadas dessa afirmação.


María "mãe da Trindade"

        Como todos sabemos Maria deu a luz a apenas uma pessoa divina, JESUS,  e não a três pessoas divinas ao mesmo tempo, logo ela não pode ser mãe da Trindade.

A questão numérica e a  consubstanciação  

       A divindade em consubstanciação está em cada uma das três pessoas divinas individualmente isso é verdade, mas embora compartilhem ao mesmo tempo dessa mesma substancia todavia são três pessoas em numero não em unidade apenas, e apenas uma e não as três em numero que esteve nove meses em sua gestação. Isso invalida que Maria tenha trigêmeos o que seria o mais logico afirmar no nascimento de três pessoas, o que não foi o caso naquele nascimento. 

A novidade da encarnação não da divinização

       Essa divindade compartilhada por Cristo com o pai e com o Espirito Santo não se tornou novidade no ventre de Maria porque já existia e mesmo que se afirme que pela natureza consubstanciada por Cristo ela se torna mãe da Trindade a heresia só vai aumentando porque a substancia divina não se forma no ventre de Maria como veremos em outros pontos aqui. Sem falar que compartilharem em consubstancialidade a mesma natureza não faz das trés pessoas uma só pessoa, nesse caso seriam trés manifestações em uma só substancia numa só pessoa, essa doutrina chama-se unicismo e não tri-unidade.

A questão do nascimento sobrenatural
       
       Pessoas comuns como eu e você nascem e passam a existir a partir do momento que por milagre de criação passamos a existir num momento único desconhecido no ventre de nossas mães, esse momento, misterioso para nós é o momento em que passamos a existir em concomitância com nossa parte biológica herdada geneticamente, que vai se desenvolvendo, a qual corpo alma e espírito se formam ao mesmo tempo enquanto somos gestados no útero materno. esse mistério é mostrado por Jó que diz:
"Eis que vim de Deus, como tu; do barro também eu fui formado (Jò 33.6)
       A palavra mostra que os elementos "do barro" nossa parte química que está presente nos elementos do silício e do carbono, elementos abundantes que dão origem a vida etc. de que somos formados é a nossa gênese física por criação de material preexistente a qual a mulher que também tem esses elementos nela, em sua constituição sanguínea, geneticamente repassa via cordão umbilical ao bebê recém formado toda a estrutura da matéria química em seu útero,dessa forma nesse contexto somos pó de fato, e assim viemos do barro. e a vida segue seu mistério em formação no útero da mulher sustentado pelo poder de Deus o tempo todo. Disso o salmista o sabia muito bem.

"14 Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
16 Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia." (Sl 139.15,16)
Jesus não passou a existir como Deus no ventre de Maria, ou seja, sua divindade não teve começo em seu útero, não teve principio ali (e nem em tempo algum), por que ele já era Deus desde a eternidade,mas um corpo foi formado para Cristo, essa foi a parte da novidade nela. JESUS desceu do céu e assumiu um corpo humano no ventre de Maria como nos diz a escritura
"Pelo que, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, mas um corpo me preparaste (ou formaste). (Hb 10.5)
       Á medida que esse corpo ia assumindo suas funções vitais Jesus aguardava consciente o tempo todo durante os nove meses que seu corpo ia sendo formado, até nascer como uma criança. Embora sendo Deus e pessoa consciente antes e durante todo o processo da gestação, MAS JÁ TINHA SE ENCARNADO NA QUALIDADE DE DEUS PREEXISTENTE Á SUA ENCARNAÇÃO.
"1 NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 Ele estava no princípio com Deus.
14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade." (1Jo 1.1,2,14)
       Sendo assim Jesus não passou a existir como Deus no ventre de Maria, logo ela não pode ser mãe de algo que ela não gestou, Maria gestou o homem Jesus em cada detalhe da parte biológica dele, essa era a novidade nela, mas não trouxe como novidade a sua divindade porque ele já era Deus e depois se fez homem. É verdade que ele nasceu verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Mas a única parte em novidade trazida por ela foi o verdadeiro homem e não o verdadeiro Deus e dessa parte ela não é mãe simplesmente por ela não ter trazido a divindade em novidade nessa parte, a divina. 
       Dessa forma ela não podia reivindicar a maternidade das duas naturezas ao mesmo tempo. ELA NUNCA É CHAMADA PELOS APÓSTOLOS DE MÃE DE DEUS pois Jesus não desceu do céu HOMEM E DEUS ao mesmo tempo, mas apenas Deus, depois MESCLANDO-SE COM A CARNE HUMANA ele se tornou homem também. Ambas as naturezas se encontraram ali no ventre de Maria, a natureza divina transcendente ao tempo e outra natureza temporal absorvida pela natureza atemporal, uma herdada da genética Adâmica outra gerada pelo Espírito Santo e assim ele tornou-se verdadeiro homem e verdadeiro Deus. nesse detalhe a natureza divina absorveu as imperfeições humanas e a venceu fazendo dela seu escravo e escravo sofredor ao pai. A premissa aqui é de que Maria é mãe de cristo mas não é mãe de Deus pelo fato da natureza divina dele não ter iniciado a partir do ventre dela. isso ele deixa claro quando se direciona a ela em varias passagens e esclarece que sua natureza divina a qual daria os sinais de sua divindade mesmo estando implícita e não exteriorizada abertamente.
"Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora." (João 2 : 4)

"27  E aconteceu que, dizendo ele estas coisas, uma mulher dentre a multidão, levantando a voz, lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste.
28  Mas ele disse: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam." (Lc1.27,28)

"Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos?"  (Mateus 12 : 48)

"Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam."  (Lucas 8 : 21)

isso indica que Jesus não estava muito preocupado nem com sua genealogia por que na verdade em sua parte divina ele não tinha. De Jesus fala-se o seguinte na palavra.

"Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre."  (Hebreus 7 : 3)

       Devemos nos lembrar que Jesus veio ao mundo como homem em forma de Deus, não como Deus em forma de homem, ou seja, não veio em toda sua gloria, pois se assim fosse isso aniquilaria a todos. porque Deus é todo santo.
"6 Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz." (Fp1.6-8)
       Nós pessoas comuns nascemos em novidade uma única vez tanto por sermos espírito como por sermos corpo biológico. e dessa natureza surgida instantaneamente no ventre de nossas mães sem nunca ter existido antes em toda eternidade por milagre de criação também na parte da alma e do espirito humano, por isso elas são mães de forma integral da natureza humana como corpo alma e espírito de cada ser humano. Mas Jesus não teve começo como simples alma e espírito humano no ventre de Maria como os outros seres humanos, seu inicio na existência como filho do homem sim, ele teve, a qual ao mesmo tempo foi chamado também filho de Deus, por causa de sua natureza divina, que Maria não deu principio, mas que obedientemente serviu de intercurso ao verbo que se fez carne. do contrario ele seria apenas humano e não Deus ao mesmo tempo.

a questão da existência de uma quarta pessoa divina 

       Se sobre Maria for ainda ensinada ela ser "mãe da Trindade" ainda tem a implicação mais herética ainda dessa declaração. Por que se três pessoas são ao mesmo tempo filhos de Maria então consequentemente os três juntos tem um pai, mas olha o absurdo, quem seria o pai da Trindade? Isso determina então que exista uma 5° pessoa que tenha gerado as outras três. Nesse caso os católicos Romanos adoram 4 pessoas e ainda põem Maria como a quinta. 
       Maria no catolicismo Romano tem posição praticamente de uma Deusa, embora seja verdade que eles não a mencionem ainda como tal, mas com todos os atributos divinos que eles entregam a ela, como a onipresença a onisciência e a onipotência descritas num dos tradicionais ensinos romanistas, então ela de fato é colocada como uma pessoa divina a ponto de ser chamada de mãe de Deus, o livro glorias de Maria do padre Alfonso ligório que o diga, Banzoli diz:
"Em primeiro lugar, é importante ressaltar que nós, evangélicos, respeitamos Maria, como sendo a mãe de nosso Senhor Jesus. Reconhecemos que ela foi agraciada por Deus e que é digna de nosso respeito. O que nós iremos refutar, portanto, não é Maria, mas sim os mitos e mentiras que foram inventados em torno dela, muitos séculos depois da era apostólica. Diz respeito, principalmente, ao fato de considerá-la como:

- Co-Redentora
- Medianeira
Intercessora
- Advogada
- Rainha dos Céus
- Onipotente
Salvadora
- Adjutriz
Mãe de Deus
Toda-Poderosa
Auxiliadora
Imaculada
- Esposa do Espírito Santo
Estes e vários outros títulos atribuídos a Maria - muitos dos quais de maneira oficial pela Igreja Romana, outros dos quais constantemente ditos pelos fieis  não possuem qualquer fundamento bíblico de respaldo. Ao contrário, o que veremos é que em lugar nenhum da Bíblia Maria é elevada a estes padrões.

Primeiramente, vamos ver o que os próprios católicos nos dizem a respeito dos pontos levantados acima. Colocarei aqui referências vindas do Catecismo Católico, do Concílio Vaticano II e de um livro oficial da Igreja Romana escrito por um santo e doutor da Igreja, Afonso de Ligório, chamado "Glórias de Maria". Vejamos:

-Maria como salvadora:

"Esta união de Maria com seu Filho na obra da salvação manifesta-se desde a hora da concepção virginal de Cristo até sua morte” (Catecismo Católico, §964)

"E esta maternidade de Maria perdura sem cessar na economia da graça... Pois uma vez assunta aos céus, não deixou o seu ofício salvador, mas continua a alcançar-nos por sua múltipla intercessão os dons da salvação eterna"(Concilio Vaticano II, Lumen Gentium, 62; veja-se o Catecismo da Igreja Católica, # 969, 975)

“Salve esperança de minha alma... salve, ó segura salvação dos cristãos, auxílio dos pecadores, defesa dos fiéis,salvação do mundo” (Glórias de Maria, p.98)

“Maria é advogada poderosa para a todos salvar (Glórias de Maria, p.151)

“Feliz aquele que se abraça amorosa e confiadamente a essas duas âncoras de salvação: Jesus e Maria! Não perecerá eternamente” (Glórias de Maria p.31)

-Maria como advogada, auxiliadora, adjutriz e medianeira:

“Bem-Aventurada a virgem Maria, invocada na Igreja sob título de advogadaauxiliadoraadjutrizmedianeira(Concílio Vaticano II, p.109)

-Maria como onipotente e Toda-Poderosa:

Sois onipotente, ó Maria, visto que vosso Filho quer vos honrar, fazendo sem demora tudo quanto vós quereis(Glórias de Maria, p.100)

Maria é toda poderosa junto a Deus“ (Glórias de Maria, p.151)

Tendo em vista que essas informações não são invenções de protestantes, mas são declarações proferidas pelos próprios católicos, por santos e doutores da Igreja, por livros oficiais da Igreja Católica, pelo Catecismo Católico e pelos concílios, cabe agora refutarmos estas falsas alegações  embora algo tão obviamente herético nem necessite realmente de alguma refutação."

http://heresiascatolicas.blogspot.com.br/2012/08/os-titulos-de-maria-luz-da-biblia.html

conclusão

       Julgar que Maria seja mãe de Deus pela premissa da homousios é pressuposição presunçosa. Mesmo sua natureza sendo toda uma só isso não valida essa premissa. A natureza divina é pré existente a Maria ela não deu novidade a essa natureza, logo ela não pode ser mãe do que nela não veio em novidade. Além do mais quando estas duas naturezas se encontraram a divina absorveu a humana e isso foi a causa de Jesus não ter nascido pecador. Existe também a realidade nele de que essas duas naturezas, mesmo mescladas, um dia já foram duas independentes e continuaram independentes antes de sua ressurreição, porque o ultimo mistério era justamente a ressurreição da carne humana natural em que ele estava razão porque foi identificado apenas como homem, embora sendo "em forma de Deus" "Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz". Fp 2.6-8. Uma outra coisa a considerar é que não nasceram três pessoas do ventre de Maria ela não deu a luz a três pessoas e sim a uma única pessoa que em consubstancia com as outras duas nasceu independente das outras duas, pressupor que por causa dessa homousios tenha ela se tornado Mãe de Deus é improprio nesse caso pois para ela se tornar mãe de Deus implica em dizer que ela se tornou mãe de três pessoas, mas como se só nasceu uma delas? ela se tornou mãe da novidade nela e a única novidade foi ter nascido um homem do qual sua carne foi gestada por ela mas que a sua parte divina não, porque já existia, ela não teve desenvolvimento nem modificação ou evolução nenhuma, sua natureza divina é imutável e eterna, pode-se distinguir as pessoas na trindade embora sejam da mesma natureza. a pergunta é nasceram três pessoas? não, nasceu um homem com a natureza divina destituído de sua gloria anterior e temporariamente foi apenas homem em forma de Deus.

que Deus abençoe a todos em nome de Jesus.

Luis Edinaldo